Mercado de Arte – A seguradora de arte Hiscox apresentou um novo relatório sobre o comércio de arte on-line e suas vertentes.

Em seu relatório foi definido que o Blockchain, Inteligência Artificial e Big Data serão essenciais na comercialização de arte pelos meios digitais.

O mercado de arte on-line cresceu 12% em 2017. A receita total foi de US $ 4,22 bilhões. No ano anterior, 2016, as vendas aumentaram 15%. Mas um aumento como em 2015, em 24 por cento, não é de se esperar novamente segundo especialistas de mercado da Hiscox. No entanto, eles acreditam que até 2023 o mercado pode crescer 50% chegando a soma de 8,37 bilhões de dólares.

A Hiscox é especializada em seguros e mercado de arte. Os especialistas da seguradora entrevistaram representantes de plataformas online para o comércio de arte na rede. Eles são unânimes em dizer sobre a consolidação do mercado de arte on-line: 81% acreditam que fusões, cooperações e aquisições levarão a um mercado único com poucos participantes.

Robert Read, que é responsável pelos clientes particulares de artes da Hiscox, não está surpreso. “O mercado atingiu agora um nível em que o negócio on-line está se desenvolvendo positivamente no longo prazo”, diz ele. 41% dos entrevistados acreditam que esse desenvolvimento levará a um monopolio. Quase um terço das ofertas especializadas, 30% acreditam que eventualmente haverá diferentes plataformas on-line para diferentes regiões.

Está por vir uma série de aquisições. A casa de leilões on-line Paddle8, por exemplo, fundiu-se com a empresa de tecnologia The Native. A Sotheby’s comprou a Viyet, uma loja on-line de móveis vintage. Artsy, uma plataforma para colecionadores e revendedores, comprou a ArtAdvisors – essa aquisição aponta para outra tendência na venda de arte on-line, já que a ArtAdvisors coleta grandes quantidades de dados sobre artistas. Também a Sotheby’s comprou uma empresa de aplicativo que pesquisa por gosto e aprende sozinho com os usuários.

Apenas uma questão surge: E quanto à privacidade dos usuários? Muitos dos provedores on-line estão mal preparados para esse desenvolvimento. 41% das galerias e 24% das plataformas simplesmente não sabiam que eram afetados pelo Regulamento Geral de Proteção de Dados.

No entanto, informações sobre transações e a proveniência de obras de arte estão se tornando mais prontamente disponíveis, e criptomoedas são uma ferramenta importante para isso. Parecia que o hype em torno do dinheiro digital atingiu seu apogeu no final do ano passado. No entanto, 60% dos entrevistados da plataforma online acreditam que o uso de bitcoins marca o início de um desenvolvimento positivo e de livre comercio. Apenas 7% dos entrevistados aceitam criptomoedas e 8% implementaram tecnologias blockchain em suas organizações.

A Hiscox fala de um ecossistema de serviços completamente novo para a compra de arte na Internet. Há dois pontos em que os clientes ainda podem melhorar. Quase todos, 90%, querem transparência de preços para suas compras online, enquanto 73% querem acesso a custos de transação comparáveis ​​e preços anteriores.

Leave a Reply

Your email address will not be published.